Página Inicial Música OLHAR MUSICAL – É “Your Lie in April” musicalmente bom?

OLHAR MUSICAL – É “Your Lie in April” musicalmente bom?

por Biaka Myuzu

Olhar Musical é uma rubrica com a proposta de análise de animes e outras animações, assim como filmes, de um ponto de vista “musicalmente informado”. O que quer isto dizer? Quer dizer que, independentemente de o anime/filme em si ser bom ou não, o foco será a performance musical em que se centram, e se esta tem qualidade auditiva e representativa (quer pela animação, quer pela performance dos atores).

Assim, começo por lançar este olhar crítico sobre um dos animes da área da música clássica que mais gostei: Shigatsu wa Kimi no Uso, mais conhecido como Your Lie in April.

Ficha técnica (musical) de Your Lie in April

Shigatsu wa Kimi no Uso é uma adaptação anime de 2014/2015 da manga com o mesmo título da autoria de Naoshi Arakawa.

Lançado pela A1 Pictures em 22 episódios, e pertencente aos géneros de romance e drama, temos de dar destaque a Takashi Kojima pelo seu papel fulcral como responsável pela animação deste anime, que contribuiu para uma experiência imersiva na forma como representa os músicos durante as suas performances.

Outra parte que irei obviamente comentar é o papel de Masaru Yokoyama como responsável pela banda sonora do anime.

Um facto que poderá fazer a diferença é que os músicos foram gravados a tocar as peças em questão para que os animadores pudessem ter “reações reais” durante as performances. Mas iremos aprofundar a importância deste detalhe técnico na avaliação do realismo visual face à música escutada.

Shigatsu wa Kimi no Uso conta a história de Arima Kousei, um jovem pianista que desistiu do instrumento devido a um trauma que o impedia de ouvir as notas. Um dia, através dos seus amigos Tsubaki e Watari, conhece Kaori Miyazono, uma violinista que se interessou pelo seu amigo Watari. Através desta ponte, Kousei vai conhecendo Kaori, e esta vai ensinando-o a apreciar a música de novo, ajudando-o a voltar ao piano que ele tanto ama.

Performance musical em Your Lie in April

Aspeto visual

Em termos visuais, Kimiuso (como é chamado no Japão) é belíssimo, quer seja pela animação fantástica, quer seja pela arte incrível. Mas será que a animação, sob o olhar atento de um músico, consegue ser infalível o suficiente para o fazer relacionar a música que está a ouvir com o que está a ser exibido na animação das personagens?

A resposta é: sim. Deixarei aqui um momento em específico que permite verificar esta situação, um momento em que Kaori Miyazono toca a Sonata “Kreutzer” nº9, de L. V. Beethoven. Através de um ouvido absoluto (capacidade para saber as notas sem qualquer ponto de referência) e conhecimento auditivo para reconhecer articulações de arco (ou golpes de arco), posso dizer que a Kaori apresenta uma performance sem qualquer ponto dúbio ou falacioso. Claro que a distância não permite verificar com claridade o movimento da mão esquerda, mas a mão do arco está com movimentos corretos e bem demarcados. Mesmo os breves momentos em que as mãos da pianista acompanhadora são apresentadas, estas parecem não falhar uma única tecla num CGI muito bem feito.

Primeira performance da Kaori, tocando a Sonata “Kreutzer” numa performance incrível.
Para se poder ver um exemplo diferente, desta vez é Arima Kousei ao piano a tocar “Twinkle Twinkle Little Star”, de Mozart. Para quem conseguir distinguir as notas, pode verificar com facilidade que os dedos tocam as teclas que se ouvem.

Isto deve-se, claro, à situação mencionada anteriormente na ficha técnica. Os músicos foram gravados para que as performances fossem autênticas, e os artistas e animadores pudessem fazer uma “cópia perfeita” e capturar o realismo de uma performance ao vivo. E nisso a equipa está realmente de parabéns.

Aspeto auditivo

Algo que devemos comentar também é a performance dos próprios músicos que deram vida às personagens. Independentemente de os movimentos das personagens estarem de acordo com a música escutada, convém debater se a música em si tem qualidade ou não (e sim, é possível haver uma pobre qualidade musical, como já tive oportunidade de escutar em outros animes). Mas mesmo neste campo, KimiUso não deixa uma ponta solta. Todas as performances estão lindíssimas auditivamente, e estamos a falar em peças que não são propriamente fáceis ou acessíveis a qualquer músico. Por isso, acho que podemos depreender que estamos a lidar com músicos profissionais, ou que se dedicam de forma séria à área.

Algo que também se deve referenciar é, sem dúvida, a fantástica banda sonora. Ouvir a banda sonora com inspirações de música clássica e música orquestral é fazer uma revisitação a todo o anime, com os seus momentos mais marcantes a passarem diante dos nossos olhos perante esta música bela e muito bem executada. A banda sonora está totalmente inspirada e adequada ao anime e géneros em que se insere, e a própria música leva o ouvinte numa viagem de emoções.

O vídeo possui mais de uma 1 hora, mas fica aqui para quem quiser escutar esta fantástica banda sonora, mesmo que seja como música relaxante de fundo.

Resultado final

Recomendo? Sem dúvida. Seja pelo aspeto musical, seja pelo anime em geral para aqueles que sentem que a música retratada é um factor secundário para os incentivar a ver KimiUso, recomendo-o a qualquer fã de romance, slice of life ou drama. Este é um anime com óptima arte e animação, acompanhado de uma óptima história.

Para os que estão curiosos em relação ao que é “o mundo da música clássica”, este anime dá um pequeno vislumbre do que é a competição entre músicos e as suas aspirações, assim como dar muito boa qualidade musical ao ouvinte apreciador. Para os que já sabem para o que vão, e com boas expectativas, tenho a certeza de que não serão desiludidos.

Related Articles

Deixa um comentário